Overview do mercado

Atualizado em 13/08/20


Economia Nacional


Dívida Pública


Como era de se esperar, a dívida pública nacional teve uma expressiva subida devido a todos gastos direcionados à contenção da pandemia no país e de seus efeitos na economia e na sociedade. Segundo o Banco Central (BC), na sexta feira (31/07) a dívida pública alcançou 85,5% do PIB e, segundo as estimativas da equipe econômica, a dívida bruta brasileira pode chegar a 100% do PIB brasileiro no final de 2020.


De acordo com a Reuters, o Brasil poderá conviver sem grandes problemas com esse alto percentual de dívida pública em relação ao PIB pois a dívida atrelada ao câmbio estrangeiro é inferior a 3%, e a taxa básica de juros (Selic) está no seu menor patamar histórico (2%). O que convém com o fato de que, como as eleições de 2022 se aproximam, medidas de austeridade para contenção da dívida seriam mais improváveis.



Fonte: Banco Central


Fontes:


Reforma Tributária


A primeira parte da reforma tributária enviada pelo governo ao Congresso no dia 21/07 propõe a unificação de dois tributos federais, o PIS/Pasep e o Cofins, em um só. Este novo tributo se chamará Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS), com uma alíquota de 12% e um regime não cumulativo.


Essa proposta gerou um desconforto imediato no setor de serviços, o qual sofreria com um aumento na sua tributação devido a uma menor cadeia de valor (e consequentemente menor crédito tributário). Contudo, vale destacar que o regime tributário Simples Nacional, que possui uma alíquota menor, será mantido integralmente e continuará atendendo às micro e pequenas empresas.


Fonte:


Privatizações


Na quarta feira (06/08) o ministro Paulo Guedes afirmou que o governo irá propor nos próximos 60 dias a privatização de três a quatro grandes empresas públicas. Contudo, nesta terça feira (11/08) os secretários especiais de Desestatização e Privatização, José Salim Mattar, e o de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Paulo Uebel, pediram demissão, justificada pela morosidade nas privatizações e no andamento da reforma administrativa.


Vale relembrar que, em agosto de 2019, o governo divulgou uma lista de 17 potenciais empresas estatais a serem privatizadas, a seguir segue um status do andamento dessas privatizações:


Fontes:


Guerra Comercial


Fonte: Trade War Vetores por Vecteezy


No mês de maio, o congresso da China aprovou uma nova lei de segurança sobre Hong Kong que, segundo a BBC, torna criminoso os atos de secessão (romper com o país), subversão (minar o poder ou a autoridade do governo central), terrorismo (usar violência ou intimidação contra pessoas) e conluio com forças estrangeiras ou externas. De acordo com o site Suno Notícias, para o presidente Trump, a decisão viola as liberdades essenciais da cidade semi-autônoma, que protagoniza protestos pró-democracia, com apoio dos Estados Unidos.


Na sexta feira (07/08) o governo americano impôs sanções a autoridades chinesas e de Hong Kong. Uma dessas autoridades foi a presidente-executiva de Hong Kong, Carrie Lam, nomeada por Pequim. Em retaliação aos Estados Unidos, a China, nesta segunda feira (10/08) também impôs sanções a 11 cidadãos norte-americanos, dentre eles senadores, deputados e integrantes de organizações não-governamentais.


E também, das muitas frentes geradas na Guerra Comercial entre os Estados Unidos e a China, nesta quinta feira (06/08), o presidente americano Donald Trump assinou dois decretos para banir os aplicativos TikTok e o WeChat do país. Alegando que esses aplicativos ameaçam a segurança nacional, acusando-os de serem ferramentas de espionagem.


Fontes:


Economia Global - PIB 2T2020



Fonte: Mapa Mundi por Vecteezy


O segundo trimestre de 2020 demonstrou fortes contrações econômicas decorrentes da crise sanitária do novo coronavírus. O PIB da zona do euro teve uma contração de 12,1% em comparação ao primeiro trimestre de 2020. A previsão feita em junho pelo do Banco Central Europeu (The European Central Bank) é de uma queda do PIB de 8.7% para 2020.


Nos Estados Unidos, a queda no 2T2020 foi de 9,5% em comparação ao primeiro trimestre, gerando uma retração no PIB anualizado de 32,9%. Segundo uma entrevista feita pela Bloomberg com um economista sênior da Capital Economics, uma recuperação contínua em formato de “V” é improvável.


Já na China no 2T2020 teve um crescimento no seu PIB de 11,5% em comparação ao primeiro trimestre, e de 3,2% em comparação ao segundo trimestre do ano anterior. Esse crescimento foi alavancado pela retomada dos indicadores chineses de produção industrial do mês de junho, que tiveram um crescimento de 4,8% em comparação ao mesmo período do ano passado.


Fontes:


Status Vacinas

Status do desenvolvimento de vacinas para o COVID-19. Fonte: The New York Times


Nesta terça feira (11/08) recebemos da Rússia uma das notícias mais aguardadas do ano - a aprovação de uma vacina para uso em massa na população. Batizada de Sputnik V, em homenagem ao primeiro satélite artificial feito pela União Soviética durante a Guerra Fria, essa nova vacina produzida pelo Instituto Gamaleya com parceria com o Ministério da Defesa da Rússia gerou grande desconfiança da comunidade científica internacional, pelo fato de que não há evidências publicadas dos resultados dos testes da 3ª fase. O grande receio é que o prestígio internacional tenha se sobreposto ao rigor científico necessário para contornar a pandemia.


Das vacinas mais avançadas, a que fica em destaque é a que está sendo elaborada pela Universidade de Oxford em parceria com a AstraZeneca, que está na 3ª fase de testes. Destaca-se também uma vacina produzida pela CanSino Biologics que já foi aprovada exclusivamente para aplicação no exército chinês, contudo ela ainda se encontra na 3ª fase de testes.


Fonte: